urmobo MDM 5G

Tudo o que você precisa saber sobre tecnologia 5G: confira!

A tecnologia 5G tornará viáveis conexões ultrarrápidas, além de avanços como os carros automáticos e o potencial máximo da Internet das Coisas (loT). Diversos setores tendem a ser impactados pelas novas possibilidades — escolas, indústrias, hospitais, agricultura, transportes e empresas.

Alguns países já oferecem as faixas de conexão 5G, como Alemanha, China e Estados Unidos, mas ainda não houve o lançamento oficial da tecnologia no Brasil.

Neste post, vamos explicar quais são as previsões para o 5G no país, os impactos dessa tecnologia e as diferenças dela em relação ao 4G. Confira e tire as suas dúvidas!

O que é a tecnologia 5G?

A Quinta Geração da Telefonia Móvel (5G) é a mais nova tecnologia para o transporte de dados em redes de dispositivos móveis. Ela sucede gerações que trouxeram avanços importantes, mas as suas vantagens prometem mudanças que, até então, seriam inviáveis com o 4G.

A nova tecnologia opera com frequências para transportar informações pelo ar, assim como as gerações anteriores. A diferença dela é que as frequências são mais altas e menos confusas, o que acelera o tempo de transmissão dos dados.

O sinal das redes de internet sem fio é facilmente bloqueado por árvores e edifícios. Para contornar esse desafio, a implementação do 5G exige uma quantidade maior de antenas. Dessa forma, a capacidade da rede sem fio se torna ainda mais eficiente.

A implantação do 5G no Brasil deve passar por uma série de processos. Em alguns países, as etapas já estão avançadas e, até mesmo, finalizadas. Na China, por exemplo, essa conexão é utilizada pelos usuários finais e foi lançado um satélite com a tecnologia 6G (ainda em fase de testes) já em novembro de 2020.

Vale lembrar que as gerações anteriores continuarão existindo ao mesmo tempo que o 5G. Então, usuários e empresas ainda poderão escolher planos de operadoras com 3G ou 4G enquanto não adotam a nova tecnologia.

Como foi a evolução da tecnologia 5G? 

Se você olhar para o passado, desde as tecnologias 1G e 2G, vai notar que houve uma evolução constante das conexões até pensarmos em usar o 5G. A seguir, entenda um pouco como foi essa trajetória.

1G: era analógica

Na primeira geração de redes sem fio móveis (1G), o som dos dispositivos era transmitido por ondas de rádio não criptografadas. Essa tecnologia analógica foi formulada entre 1970 e 1980.

2G: era digital

Já a segunda geração (2G) foi criada na era digital, durante a década de 1990. Ela passou a permitir a criptografia de chamadas, o uso eficiente do espectro sem fio e a entrega de transferências de dados no mesmo nível da internet discada. O 2G foi um avanço importante para a maior distribuição dos serviços de voz e dos sites de mensagens de texto.

3G: uso diário da internet

Foi na terceira geração (3G) que começou a revolução dos smartphones. As primeiras redes 3G começaram a ser construídas em 2001. O foco do novo padrão era o uso diário dos serviços de internet, ou seja, a possibilidade de navegar em sites e redes sociais, trocar e-mails e mensagens com total liberdade.

Assim como na geração anterior, o 3G recebeu melhorias ao longo de muito tempo, com o aumento da velocidade e da capacidade de transmissão de dados móveis. Quase dez anos depois, grandes empresas mundiais de tecnologia como a Apple, a Google e o Facebook lideraram as primeiras mudanças para o 4G.

4G: aumento da capacidade de interações simultâneas

Na quarta fase de tecnologias para a conexão móvel, tivemos avanços significativos na transmissão de dados. O 4G permitiu o uso de dados móveis para serviços que eram, até então, limitados a conexões de banda larga fixa, como a reprodução de vídeos em alta definição, os jogos on-line e as videoconferências com rapidez e plena estabilidade.

As atualizações e melhorias permitiram que as atividades on-line simultâneas fossem realizadas com uma capacidade muito maior do que no 3G.

Quais são as diferenças práticas entre 4G e 5G?

Uma conexão 4G de excelente performance pode chegar perto de 100 megabits por segundo (Mbps). O 5G pode ficar entre 1 e 10 gigabits por segundo (Gbps). Trata-se de uma diferença de 100 vezes entre as duas conexões.

Além disso, o tempo de resposta na transmissão de dados (chamado de latência) é de 60-98 milissegundos no 4G. No 5G, a latência é reduzida para menos de 1 milissegundo. Essa mudança visa eliminar o delay que geralmente acontece em ligações de vídeos e demanda alguns segundos de espera entre os usuários.

A nova tecnologia também tem uma excelente capacidade de abranger mais de um dispositivo ao mesmo tempo, o que a diferencia do 4G e das gerações anteriores. Além disso, a conexão do 5G promete ser mais confiável, porque um aparelho pode se conectar a mais de uma antena simultaneamente.

Em quais dispositivos é possível utilizar essa tecnologia?  

Para o usuário final, a conexão 5G exige um aparelho compatível com a tecnologia. Isso significa que a maioria dos dispositivos usados hoje no país não poderão aproveitar o 5G, considerando os preços de aparelhos comprados pela média dos brasileiros.

Entre os modelos já vendidos no país que podem receber a nova tecnologia, estão: Moto G100, Moto G 5G Plus, Galaxy A52 5G, iPhone 12 Pro, Realme 7 5G e ROG Phone 3. 

Qual é o impacto da tecnologia 5G? 

Quando ouvimos falar de uma sociedade conectada, com cidades inteligentes e comunicações instantâneas entre dispositivos, projetamos uma vida no futuro distante. Entretanto, os impactos da tecnologia 5G no curto, médio e longo prazo podem contribuir para esse cenário se tornar uma realidade em pouco tempo.

Veja, a seguir, quais são esses impactos na cultura digital atual em diversos setores da sociedade.

No transporte

A chegada da tecnologia 5G ao Brasil pode trazer benefícios imediatos para a mobilidade urbana. A conexão de alta velocidade permite a instalação das tecnologias embarcadas, também chamadas de sistemas embutidos, em ônibus, metrôs, carros e trens. Elas criam um ecossistema de transporte urbano que funciona por meio da inteligência artificial.

Essa tecnologia permite o funcionamento automático de carros elétricos, autônomos e compartilhados, além do controle de semáforos e do ritmo do trânsito. O pleno funcionamento de uma cidade inteligente envolve, sem dúvidas, diferentes fatores econômicos, políticos e sociais, mas a presença do 5G é o primeiro passo.

Nas indústrias

O potencial do 5G também traz soluções para os desafios envolvidos em diferentes setores da indústria (petróleo e gás, energia, bioengenharia etc.). As inovações que surgem no chão de fábrica mostram que o futuro está em processos cada vez mais integrados e automatizados, que se beneficiam de conexões ágeis.

Além de impulsionar a automatização dos processos, a tecnologia 5G tende a favorecer a implementação de ferramentas avançadas na indústria, principalmente relacionadas à Internet das Coisas. Os sensores inteligentes em máquinas e o mapeamento de grandes áreas industriais são exemplos de avanços possíveis com o 5G.

Nas empresas

As vantagens de conexões mais rápidas e dispositivos mais conectados ficam claras quando pensamos na mobilidade corporativa, uma tendência crescente nas empresas que se baseia na garantia de trabalho remoto para as equipes.

Empresas que já permitem o uso de notebooks e aparelhos para fins comerciais vão sair na frente com o 5G. Diversas atividades rotineiras se tornarão ainda mais eficientes, como o acesso ao armazenamento na nuvem, a troca de mensagens, a realização de videochamadas e reuniões a distância, sem qualquer risco de interrupção ou queda na conexão.

Além disso, as empresas ganham no que diz respeito ao Mobile Device Management (MDM). Hoje, operações como o Modo Foco e outras da gestão dos dispositivos já podem ser feitas de maneira remota e centralizada pela gestão de TI.

Com conexões instantâneas, as ações se tornarão ainda mais seguras e ágeis, o que também favorece o gerenciamento de projetos com um todo.

A tecnologia 5G também vai agilizar o trabalho do Service Desk, principalmente no que se refere à tarefa de armazenamento e padronização de dados na nuvem.

No sistema de saúde

O 5G acena para um futuro melhor no relacionamento entre médicos e pacientes. A introdução da nova tecnologia no país tende a intensificar os avanços atuais do sistema de saúde, possibilitando atendimentos ainda mais eficientes na telemedicina, por exemplo, o que garante o acesso de pacientes a consultas médicas e diagnósticos por videochamadas.

Além disso, a melhoria na conectividade, decorrente do aumento na velocidade de transmissão e da diminuição da latência, vai contribuir para a infraestrutura inteligente de clínicas e hospitais. Com processos automatizados e ágeis, os médicos poderão perder menos tempo com tarefas administrativas e focar no cuidado com os pacientes.

Na prática, uma infraestrutura com alta disponibilidade contribui, por exemplo, para o uso de softwares de gerenciamento de dados voltados para clínicas e hospitais. Esse tipo de tecnologia pode ajudar médicos na coleta e na análise de um grande volume de dados para gerar diagnósticos precisos para pacientes.

Esses são apenas alguns exemplos de como a área da saúde será uma das grandes beneficiadas pela tecnologia 5G.

Na rotina das pessoas

Para ver como o 5G pode mudar para sempre a rotina das pessoas, basta entender o potencial da Internet das Coisas. Essa é a maneira como objetos físicos podem se comunicar entre si e com os usuários por meio de sensores inteligentes que transmitem dados para uma rede.

Com uma conexão 100 vezes mais veloz do que a atual, será possível comandar a abertura de portas, ligar o aquecedor, mudar de música, abrir a torneira e fazer outras ações comuns em questão de milissegundos. O alto nível de interação entre equipamentos, eletrodomésticos e usuários será o ápice da inteligência artificial aplicada às residências.

Quais são as perspectivas da tecnologia 5G no Brasil? 

A previsão para a chegada do 5G no Brasil é otimista. O edital da Anatel para a licitação da tecnologia tem como uma das obrigações disponibilizá-la em todas as capitais até junho de 2022. A perspectiva do órgão é que as 26 capitais do Brasil, mais o Distrito Federal, tenham o 5G funcionando normalmente no prazo estabelecido.

A data pode ser alterada conforme os desafios e a execução das etapas de implementação. No entanto, de acordo com o que sabemos hoje, as perspectivas até junho de 2022 envolvem alguns fatores. Vamos falar sobre eles a seguir.

Leilão das frequências

O governo federal prepara um leilão das frequências que deve ser realizado ainda em 2021. O evento promete ser o pontapé inicial para a implementação do 5G no Brasil. Nele, serão leiloadas para operadoras quatro faixas de frequências da tecnologia: 700 MHz, 2.3 GHz, 3.5 GHz e 26 GHz.

Ao adquirir uma faixa de frequência, a empresa terá o direito de explorá-la economicamente, oferecendo a conexão para os usuários. As companhias que fizerem isso também precisarão cumprir as obrigações previstas pela Anatel.

As faixas são frequências em que a rede pode operar. As principais faixas da 5G são a 3.5 GHz e a 26 GHz, que permitem conexões muito mais rápidas em longo alcance e aplicações com tempo mínimo de resposta.

A tecnologia do 5G tem potencial para alcançar regiões brasileiras que, atualmente, não contam com internet. 30% dos domicílios brasileiros ainda não têm acesso a nenhuma conexão, segundo o relatório TIC Domicílios 2019, produzido pelo Cetic (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação). Com o 5G, ocorrerá uma expansão do acesso à internet e a redução desse índice.

Desafios para implementação e distribuição

Mesmo que o leilão das frequências do 5G ocorra em 2021, as empresas compradoras ainda precisarão investir em infraestrutura para oferecer as conexões. Além disso, a Anatel precisará instalar antenas 5G nas cidades brasileiras para que a tecnologia consiga entregar todo o seu potencial.

O acesso será restrito no início. No primeiro momento, a cobertura será menor, centrada nas capitais, e será preciso ter celulares compatíveis com a tecnologia.

Chegamos ao fim do post. Gostou de conhecer todas as possibilidades da tecnologia 5G? As novas conexões têm tudo para transformar como nunca a indústria de telecomunicações, eliminando dificuldades na comunicação a distância, agilizando a rotina das pessoas e aumentando a produtividade das empresas.

Você precisa melhorar o controle dos dispositivos móveis? A Urmobo vai ajudar a sua empresa a centralizar essa gestão e garantir ainda mais segurança e produtividade para toda a equipe. Para mais detalhes, acesse o nosso site e entre em contato com a gente!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.